Estilo de Vida

DICAS: manter o foco durante as férias

Olá Pancakes
Estão a chegar as férias de verão e, com certeza, algumas viagens. Aposto que muitos de vocês têm viagens planeadas o que desperta um sentimento agridoce: ansiosos para irem de férias mas, ao mesmo tempo, aterrorizados com o facto de que, provavelmente, não vão conseguir treinar ou manter a vossa alimentação habitual.

Eu própria já passei por isso. Para terem uma noção, o ano passado estive quase 20 dias praticamente seguidos fora de Portugal. Estive 12 dias nos Estados Unidos, cheguei a Portugal às 7h da manhã e no dia a seguir, por volta dessa hora, já estava no aeroporto outra vez para voar para Amsterdão onde lá fiquei 5 dias. E querem saber em que isso afetou o meu progresso? Em nada. Com o mindset certo é possível aproveitar das férias sem neuras, desfrutar ao máximo da comida e bebida sem que isso estrague meses de trabalho.

Eu vou dividir isto em etapas: pré-viagem, durante a viagem, e pós-viagem.

1) Pré-viagem

Tudo começa mesmo antes da viagem. O planeamento com antecedência de como poderá ser a rotina é fundamental. A primeira coisa que pesquisei foi se os hotéis para onde eu ia tinham ginásio. Nos Estados Unidos tinham e eu consegui treinar sempre, o material era escasso mas ia fazendo uns treinos funcionais, correndo na passadeira e até seguindo uns tutoriais no youtube e sempre dava para me mexer qualquer coisa. Em Amsterdão nem por isso, não treinei um único dia, mas passeei muito pela cidade, mantive-me muito ativa.

A nível de alimentação é também importante fazer algum tipo de planeamento, mesmo que não se saiba para o que se vai, é importante estabelecer quando são dias de abusar um bocadinho ou quando são dias de se manter mais focado. Como já sabia que o hotel tinha ginásio e ia treinar o máximo de vezes que conseguisse, resolvi que ia andar mais relaxada na alimentação, mas sempre tentando controlar as macros. É também importante perceber para que tipo de estadia vamos. No meu caso, em Nova Iorque e Amsterdão estive em hotel o que significava que ia fazer todas as refeições em restaurantes. Mas em Miami estive em apart-hotel o que me permitia ir às compras e fazer algumas das refeições no quarto, o que ajudou muito a manter-me focada. A preparação pré-viagem é uma questão de mentalidade. Pensar no que queremos, nos objectivos que temos e mentalizarmo-nos que, a bem ou a mal, vamos ter que os cumprir. Comprometam-se a treinar, 3 dias ou a fazer só duas cheatmeal. Se assim for, guardem-nas para o final das férias. É mais fácil estarem a semana toda a comer de forma saudável e só no fim fazerem uma cheatmeal do que começarem logo a comer mal. Depois é mais difícil voltar ao foco.

Preparar marmitas para levar no avião é importante. Principalmente quando são viagens de longo curso. Levei panquecas, latas de atum, ovos cozidos, fruta e barrinhas para garantir que não tinha fome durante a viagem. 

2) Durante a viagem

Até que andei bastante relaxada porque treinei praticamente sempre. Em Nova Iorque treinei menos vezes que em Miami, mas mesmo assim estive sempre muito ativa porque andei a pé pela cidade quase toda. Queria experimentar tudo e mais alguma coisa, então estipulei que todos os dias iria permitir-me um pequeno “treat” que quisesse mesmo muito. Desde almoçar uma fatia de piza, lanchar uma lata de atum e jantar uma salada, a almoçar frango grelhado, lanchar uma quest e jantar um hambúrguer com batatas fritas. Houve espaço para tudo. O truque é não tirar apenas um dia para comer tudo o que apetece mas sim ao longo da semana ir fazendo estas escolhas com equilíbrio. Eu optei por ir comendo o que me apetecia ao longo da semana tentando ao máximo encaixar nas macros.

Sei que por vezes é difícil resistir, mas temos que ser mais fortes. Quantas vezes não tinha a minha família a comer pizza e eu a comer frango grelhado com salada? É uma questão de fazer escolhas, de ser ponderado. Comi piza, comi hambúrgueres, comi gelados, mas não comi todos os dias. Também soube quando sentar-me à mesa e pedir uma salada ou um peito de frango grelhado, porque sim, é possível! E quando se tem uma família que nos apoia e faz esforços para encontrar restaurantes que vão de acordo com o nosso estilo de vida é o melhor que há 🙂

Mesmo que o hotel não tenha ginásio, levem convosco equipamento de treino. Dá sempre para irem fazer uma corrida, fazer um treino funcional num parque próximo na cidade. Eu realizei um dos meus sonhos nesta viagem: correr no Central Park. Um dos dias que não me apeteceu treinar no ginásio do hotel e estava um dia lindo, aproveitei para ir fazer uma corrida. Portanto o facto de o hotel não ter ginásio não é desculpa para não treinarem!

Já em Miami treinei todos os dias. Acordava todos os dias mais cedo que toda a família. Comia um ovo cozido, fazia um treininho de 45/50 minutos, voltava para cima, tomava um duche rápido, vestia o biquíni e estava pronta para tomar o pequeno-almoço com a família. Como estava em apart-hotel comprei umas instant oats, tirava sempre uma banana do pequeno-almoço e fazia as minhas papinhas para pós treino.

Outra dica para não perderem o foco é procurarem uma loja de suplementos (não estou a brincar eheh). Eu comprei montes de quests para ter comigo para os lanches para me certificar que ingeria proteína suficiente. Comprava frutos secos e tirava peças de fruta e ovos cozidos do pequeno-almoço para os snacks para andarem comigo durante o dia, assim evitava comer coisas na rua.

Em Amsterdão não treinei de todo, foram só cinco dias e aproveitei mesmo para passear, conhecer a cidade e descansar. Dar uma pausa ao meu corpo. O esquema manteve-se. Comi piza, comi stroppwafles (um género de bolacha belga com caramelo no meio e chocolate derretido por cima – é divinal), gelado etc. Mas também comi saladinhas e comida saudável. Andava sempre com fruta e ovos que trazia do pequeno almoço e ia algumas vezes ao supermercado fazer compras rápidas para os lanches, porque até é uma forma de poupar dinheiro.

Por último mas não menos importante, lembrem-se da hidratação! Andem sempre com água, para além de vos ajudar a controlar o apetite em sítios onde faz muito calor é fundamental.

3) Pós-viagem

Não se arrependam de nada. Viveram, divertiram-se e fizeram o melhor que podiam com o que tinham. Devem estar de consciência tranquila. Um aspeto importante que costumo aconselhar e eu própria faço: não se pesem! Por mais equilibradas que tenham sido as vossas escolhas é normal que venham mais inchados e a fazer mais retenção de líquidos. Lembrem-se que o peso é muito instável, flutua muito de acordo com diversos factores. Se estão mais cansados, mais stressados, dormiram pouco, estão a sofrer de jet-lag, uma infinidade de variantes pode influenciar este número. Portanto não se pesem, regressem e voltem à vossa rotina de alimentação e treinos normal como se nada se tivesse passado.

O que mais aprendi com estas viagens foi a ser equilibrada. Percebi que tenho maturidade suficiente para aproveitar as férias sem entrar em compulsão louca. Fazer tudo com equilíbrio e, acima de tudo, desfrutar porque há oportunidades que acontecem apenas uma vez na vida e temos que aproveitar ao máximo.

Fazendo a retrospectiva, o que são 20 dias em 365 de foco e dedicação? Nada! Não são estes 20 dias mais relaxados que vão atrasar progressos se souberem fazer as escolhas certas. Portanto se estão prestes a fazer uma viagem lembrem-se disto. Espero que esta partilha da minha experiência e dicas vos sejam úteis para estas férias!

Um beijinho,

Anaísa

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s