Estilo de Vida

Inchaço abdominal: o que fazer?

Olá Pancakes

Hoje venho falar-vos de um tema que é alvo de algumas questões da vossa parte: o inchaço abdominal.

Para vos contextualizar, eu antes de começar a ter um estilo de vida mais saudável, a treinar e a alimentar-me melhor que sofria muito deste mal. Sempre inchada, muitos gases e muito desconforto. Muitas vezes tinha que recorrer a chás e a medicamentos para me aliviarem a obstipação.

A prática de exercício e uma dieta equilibrada ajudaram-me muito a combater este problema, principalmente quando deixei de comer pão. Notei uma diferença enorme e, apesar de ser uma louca por pão, preferi mesmo bani-lo da minha alimentação (exceptuando umas raras ocasiões) porque não compensa o desconforto que sinto.

Apesar de estar muito melhor ainda não “funciono” a 100%. Neste post quero esclarecer-vos algumas dúvidas sobre isto, dizer-vos as principais causas deste inchaço e o que podem fazer para atenuar.

O inchaço pode ser descrito como a sensação de se ter um balão no abdómen. É um sintoma muito comum que normalmente está associado à distensão, ou seja, ao aumento visível da área abdominal. O inchaço e a distensão causam desconforto a às vezes dor o que pode ter um impacto negativo na nossa qualidade de vida. Quem sofre disto sabe que esta é uma sensação horrível, certo?


Este é um problema que muita gente tem, é bem mais comum do que se pensa. De acordo com a IFFGD (International Foundation for Functional Gastrointestinal Disorders) existem diversas causas para a ocorrência destes sintomas, porém nenhuma resposta é conclusiva.

“Inquéritos a populações e indivíduos saudáveis demonstram que 10-30% sofrem de inchaço com frequência ou mais de um quarto do tempo.” (SULLIVAN, Stephen. Functional Abdominal Bloating with Distention. 2012)

Motivos pelos quais podes sentir-te inchada:

  • Demasiados gases nos intestinos;
  • Níveis anormais de bactérias nos intestinos;
  • Desequilíbrio de microorganismos que vivem no intestino, às vezes consequência da toma de antibióticos;
  • Intolerâncias alimentares;
  • Aumento da percepção e sensibilidade ao que está a acontecer no aparelho digestivo;
  • Curvatura acentuada da região lombar (lordose) que diminui a capacidade do abdómen de segurar os gases.

Para mais informação consultar o site aqui ou o artigo Functional Abdominal Bloating with Distention aqui

Na minha opinião, para combater estes sintomas de inchaço e desconforto, antes de recorrer a qualquer tipo de medicação deve começar-se por tomar algumas medidas a nível do estilo de vida e da alimentação.

Por exemplo:

  • Comer mais devagar às refeições. Ajudou-me imenso a perder a sensação de inchaço e a ter menos gases;
  • Perceber que alimentos nos provocam este mau estar. Esta fase tem que ser feita através de experiências. Vão retirando e voltando a colocar alimentos na vossa alimentação para testarem. Intolerância aos ovos, lactose, glúten e frutose podem ser causadores desse inchaço. O amendoim também é um alimento altamente causador de obstipação e de inflamações (sei que vai haver muitos “oooohhhh” por aí), substituam a manteiga de amendoim por caju ou amêndoa.
  • Beber muita água! A água previne a obstipação, para além de outros inúmeros benefícios para a saúde.
  • Ingerir a quantidade adequada de fibra. Há quem precise de mais, há quem precise de menos. Fibra a menos faz com que o intestino não funcione tão bem provocando alguma obstipação a quem já tem tendência a, mas fibra a mais pode ser também impulsionador de inchaço e excesso de gases. Encontrem o vosso meio-termo.
  • Evitem bebidas com gás e pastilhas elásticas. Fazem com que entre demasiado ar e leva a que concentremos mais gases no intestino.
  • Sejam ativos! O exercício físico ajuda a combater estes sintomas, principalmente a obstipação.
  • Evitem alimentos sugar-free. Normalmente estes alimentos vêm com aditivos para adoçar como o xilitol e outros endoclurantes que podem causar mau estar abdominal.
  • Reduzam o sal. Este é um dos principais impulsionadores da retenção de líquidos.

 

“Certamente a lactose, frutose e sorbitol devem ser considerados e alguns pacientes, mesmo sem a doença celíaca, beneficiam de uma dieta sem trigo e centeio ou de uma dieta livre de glúten.” (SULLIVAN, Stephen. Functional Abdominal Bloating with Distention. 2012).

Eu aconselho a que este seja o vosso ponto de partida para tentarem combater o inchaço e desconforto, pois na maioria das vezes ele advém de uma alimentação pobre em nutrientes e um estilo de vida menos adequado.

Se depois de aplicarem estas mudanças à vossa vida o problema continuar, aí aconselho-vos a consultar um médico especialista em doenças gastrointestinais ou a fazerem um teste e intolerância alimentar de forma a perceberem que alimentos podem estar a causar esse desconforto.

Espero ter ajudado!

Um beijinho,

Anaísa

Anúncios

One thought on “Inchaço abdominal: o que fazer?

  1. Eu notei uma diferença enorme quando a cortar com o glúten! Não acho que tenha exactamente doença celíaca, mas tinha imensa obstipação e gases, e estava sempre com a barriga dura e inchada. Assim que comecei a reduzir no glúten (massas e pão 😢) notei diferenças praticamente do dia para a noite!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s