Estilo de Vida

ALIMENTAÇÃO: Dias Low Carb

Olá Pancakes

Fim-de-semana rima com low carb. E agora vocês perguntam: “porquê?”

Porque são os meus dias de descanso.

E porque é que faço isto? Bem, é precisamente o que vou explicar com este post.

Sempre tive muito pavor aos hidratos de carbono, mas quando comecei a perceber que precisava deles para ganhar a tão desejada massa muscular que queria, as coisas complicaram-se. Então comecei a pesquisar e a ler muito sobre o assunto de forma a tentar perceber qual a melhor abordagem e de que forma iria conseguir introduzir os hidratos na minha alimentação sem que isso afetasse a minha saúde mental.

Foi então que comecei a ler sobre o carb cycling. De uma forma simples, isto consiste na variação da quantidade de hidratos de carbono que consumimos por dia consoante o nosso plano de treino.

Existem várias abordagens a este assunto. Uma delas baseia-se na implementação de um ciclo de três dias, ou seja, divide-se em dias high carb, dias moderate carb e dias low carb. Outra das abordagens, mais simples e pela qual optei foi, simplesmente, fazer dias elevados em hidratos nos dias de treino e baixos em hidratos nos dias de descanso, simples assim.

O que a ciência diz sobre o carb cycling é que esta abordagem resulta para dois objetivos distintos:

  • Promover o ganho de massa muscular com o mínimo ganho de massa gorda;

OU

  • Promover a perda de gordura com a mínima perda de massa magra.

Isto pareceu-me estar ali a roçar a perfeição. Então, porque não experimentar?

Decidi adaptar esta ciência aos meus objetivos e necessidades. Como o meu objetivo é ganhar massa muscular, tenho que ter um intake calórico superior ao meu dispêndio calórico. Eu prefiro manter o intake calórico igual todos os dias e variar a distribuição de macronutrientes, conforme estou em low carb ou high carb.

Os meus dias low carb são à quarta, sábado e domingo pois são dias de descanso. Mantenho o intake calórico dos outros dias da semana, simplesmente diminuo o consumo de hidratos e aumento, consideravelmente, o consumo de gorduras. Não tenho valores estipulados, mas o consumo de hidratos anda à volta das 70/80g, sendo que o de gordura vai aumentar de forma a atingir as calorias diárias estipuladas.

Mas resulta mesmo?

Veremos. Já consegui secar e manter a massa muscular com esta abordagem estando em défice calórico, obviamente. Agora estou a adaptá-la para o ganho de massa muscular e veremos como corre.

Além dos resultados físicos que espero que me traga, esta estratégia ajuda-me muito a não entrar em stress nos dias em que não treino e ajuda-me, também, a deixar um pouco de lado o pavor que tinha dos hidratos. Serve de alívio à consciência e é uma forma de eu ingerir as calorias e macronutrientes que necessito sem grandes dramas.

Não há uma regra estipulada para se seguir este estilo de dieta, cada pessoa pode adaptar à sua rotina e objetivos. Quer queiram perder massa gorda ou ganhar massa magra, certifiquem-se que estão a ter o intake calórico adequado e uma distribuição de macronutrientes apropriada e depois vão “brincando” e vendo o que resulta convosco. Só por tentativa-erro é que vão descobrir o que melhor funciona convosco, não tenham medo de arriscar!

Na próxima publicação vou partilhar a minha alimentação num dia low carb 🙂

No entanto, deixo já aqui uma sugestão de almoço low carb, rico em proteínas e gorduras, o que torna esta refeição bastante saciante.

Espero que tenham ficado esclarecidos.

Beijinhos,

Anaísa

Anúncios

2 thoughts on “ALIMENTAÇÃO: Dias Low Carb

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s